Não é cadastrado, clique aqui!
Não é cadastrado, clique aqui!
Qual seu grau de confiança na economia brasileira?
Horrível. Não há luz no fim do tunel e a cada dia fica pior. Já perdi as esperanças!
Péssimo. Vai piorar, vai demorar a estabilizar e vai demorar muito até começar a dar sinais de melhora.
Bom. Estamos passando por turbulências mas em breve o país voltará a crescer.
Muito bom. O pior já passou e já está melhorando.
Excelente. Não há crise econômica.
Ruim. Acredito que pode melhorar mais vai demorar.
Quarta-feira, 27 de maio de 2015
Esquerda
Direita
Share
Publicada em 08/07/2008
1984 pessoas já leram esta matéria.  

Justiça de SP faz mutirão para julgar processos contra o INSS

Pessoas que tentam na Justiça receber a aposentadoria do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) têm uma oportunidade a mais essa semana. Um mutirão vai agilizar 1,5 mil ações que estão paradas no Juizado Especial de São Paulo.

São casos de pessoas que resolveram processar o INSS depois que tiveram o pedido de aposentadoria negado. É a chance de resolver um problema que pode se arrastar durante anos. Entre os casos a serem analisados estão principalmente os de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez.

O mutirão terá cinco procuradores do INSS e 15 juízes envolvidos. Normalmente, a Justiça analisa 400 casos do gênero por mês, mas agora vai tentar resolver 1,5 mil ações em apenas quatro dias. Os envolvidos nestes processos serão avisados pelo Juizado.

O INSS protocola, por mês, 550 mil requerimentos de todos os tipos de benefícios previdenciários. Cerca de 130 mil segurados entram na Justiça contra o inss todos os meses.

Personagem
São tantos os papéis, tanta burocracia, que é difícil saber ao certo qual a situação do processo. A única certeza para o desempregado Luís Antônio Barbosa são os dois parafusos no braço esquerdo, colocados depois de um acidente.

A cirurgia limitou os movimentos do ex-ajudante geral de uma metalúrgica, que, em casa, não consegue nem ajudar nos serviços domésticos, pois tem até dificuldade para varrer o chão.

Em 1994 veio o afastamento do trabalho e o recebimento de um auxílio-doença, que o INSS suspendeu dois anos mais tarde.

Depois de mais de dez anos de espera, ele decidiu entrar com uma ação contra o inss para tentar reaver o benefício. Até hoje, espera por uma decisão. Enquanto isso, ele e a mãe vivem com R$ 600 - dinheiro da aposentadoria dela.

Desde que decidiu recorrer à Justiça, Luís já foi chamado para duas audiências que não resolveram o problema. Uma terceira reunião estava marcada só para o fim de outubro, mas graças ao mutirão ele terá uma oportunidade mais cedo.
Fonte: G1, 7 de julho de 2008. Na base de dados do site www.endividado.com.br
Comentários
3 comentários

Destaques

Cadastre-se e receba notícias. É grátis!